DÓLAR HOJE:
Euro Hoje
25 de maio de 2024
Search
Close this search box.

Caso André do Rap é problema do Judiciário e não da lei, diz Rodrigo Maia

Compartilhe este artigo

Rodrigo maia foi questionado sobre artigo do “Pacote Anticrime” aprovado pela Câmara. (Luis Macedo/Ascom Câmara dos Deputados).

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM), afirmou que o Congresso não deve discutir a revogação do artigo do “Pacote Anticrime” que estipulou prazo de 90 dias para revisão de prisão preventiva. A discussão ganhou força após a soltura do traficante ligado ao PCC, André do Rap, determinada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Marco Aurélio Mello.

A declaração foi feita nesta terça-feira (13) durante uma entrevista à Rádio CNN/Transamérica. Maia disse que a soltura do chefe do tráfico não se deu por um problema da lei, mas sim do Judiciário e do Ministério Público. “Não acho que a lei seja um problema, muito pelo contrário. O problema é a decisão. Não dá para transferir à lei um problema que é do Judiciário e do Ministério”, declarou.

O presidente da Câmara afirmou que cabe ao Judiciário avaliar e refletir sobre suas decisões. “Tirando este caso, que é muito ruim e gera muita comoção da sociedade, tem milhares de casos de pessoas que ficam presas anos até, sem nenhum tipo de análise, principalmente as pessoas mais pobres que não têm advogado”, contrapôs.

Rodrigo Maia lembrou que, durante as discussões na Câmara dos Deputados ou com o próprio governo, o prazo de 90 dias nunca foi um problema apresentado por ninguém. “A lei já existia, todos sabiam, e o próprio Ministério Público ontem em uma nota disse que pediu a revisão”, comentou.

Maia disse ainda que não se pode misturar esse assunto com a PEC da Segunda Instância (PEC 199/19), deve ser votada ainda neste ano. O autor da PEC, deputado Alex Manente (Cidadania-SP), chegou a dizer que com a aprovação da proposta “absurdos como a soltura de um líder do PCC, duas vezes condenado, jamais aconteceriam”.

“Não há necessidade de acelerar, a proposta está bem encaminhada. O texto do [relator] deputado Fábio Trad (PSD-MS) é muito bom porque trata da segunda instância em todas as esferas, não apenas na esfera criminal”, elogiou Maia.

Apesar da suspensão do trabalho das comissões por causa da pandemia, o presidente considera possível completar o prazo mínimo de 11 sessões com a retomada dos trabalhos da comissão especial nas próximas semanas.

Compartilhe este artigo

Deixe seu comentário

Para comentar na página você deve estar logado em seu perfil do Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que firam a ética e a moral poderão ser denunciados, acarretando até mesmo na perda da conta. Leia os termos de uso e participe com responsabilidade.

Comercial

Redação

© COPYRIGHT 2023 – GOCOM GRUPO ONLINE DE COMUNICAÇÃO. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.