DÓLAR HOJE:
Euro Hoje
29 de novembro de 2023

“Quero ser prefeito para diminuir a taxa de pobreza de Maceió”, diz Alfredo Gaspar

Compartilhe este artigo

Candidato do MDB a prefeitura de Maceió, Alfredo Gaspar, participa de encontros com setores produtivos da capital. (Foto: Assessoria/Felipe Brasil).

De olho nas Eleições 2020, o Imprensa Online realiza uma série de entrevistas com os candidatos a prefeitura de Maceió. O objetivo é ampliar o debate político dando vozes a todos os protagonistas e ajudar o eleitor a fazer a melhor escolha para a gestão dos próximos anos da capital alagoana.

Por isso, diante de uma linha editorial democrática, ficou determinado que todos os candidatos vão responder as mesmas perguntas para ajudar na comparação das ideias de cada candidato.

O primeiro entrevistado é o candidato do Movimento Democrático Brasileiro (MDB), o ex-procurador de Justiça e ex-secretário de Estado da Segurança Pública de Alagoas, Alfredo Gaspar de Mendonça, que a frente da coligação “Maceió Mais Forte” tem o como vice o ex-superintendente de Transporte Trânsito de Maceió, Tácio Melo (Podemos). Confira a entrevista:

1. Quem é o candidato Alfredo Gaspar de Mendonça?

“Tenho 50 anos, aos 25 já integrava, por concurso público, o Ministério Público alagoano, onde comecei como promotor de Justiça até atingir a chefia da Procuradoria Geral de Justiça, quando fui eleito por duas vezes seguidas. Comandei o mais importante grupamento contra o crime organizado no Brasil, o Grupo Nacional de Combate ao Crime Organizado. Em 2015, fui secretário de Estado da Segurança Pública, quando consegui tirar Alagoas do ranking de Estado mais violento do país. Mudei a minha trajetória na Justiça para abraçar, pela primeira vez, a política partidária, como candidato a prefeito de Maceió. Quero fazer a diferença para mudar a vida das pessoas”.

2. O que o motiva e o qualifica a concorrer ao cargo de prefeito de Maceió?

“Maceió continua com uma desigualdade social muito grande. Quero ser prefeito para diminuir essas taxas de pobreza e isolamento, transformando todo esse território em espaços de oportunidades. Na educação levar para os nossos jovens escola em tempo integral, e na Saúde cuidar das pessoas nessas regiões mais pobres, com total cobertura na atenção básica para quem usa o SUS”.

3. O que representa a sua candidatura a prefeitura de Maceió?

“As pessoas podem esperar de mim o que sempre tiveram: sinceridade, autenticidade, dedicação. Eu serei o mesmo, com os mesmos princípios, apenas estou me propondo a dar um passo à frente na luta a que me dediquei até hoje. Eu acredito no trabalho coletivo, mas não abro mão das minhas convicções, do meu jeito de fazer. Foi assim no MP, na Secretaria de Segurança. Vou para a linha de frente, disposto a agregar, mas com total autonomia e firme no meu propósito. Sou um gestor. Então não estou entrando em um terreno desconhecido. Conhecer os problemas, planejar, enfrentar os desafios, encontrar soluções, fazer o certo e combater o errado. Sempre fiz isso e quero continuar a fazer”.

4. Em sua opinião, quais são os maiores problemas da capital alagoana?

“Em Maceió, milhares de pessoas ainda vivem na periferia da cidade, em uma realidade marcada por uma forte desigualdade social e econômica, que agravou com a chegada da pandemia. O ano letivo foi perdido; milhares de procedimentos e consultas paralisadas; milhares de pessoas estão desempregadas. Meu plano de Governo tem metas sustentáveis de curto, médio e longo prazo, e como missão permanente estão ações de combate à pobreza, à fome e à desigualdade. Toda a estrutura de meu governo estará interligada, com ações conjuntas de proteção social e bem estar físico e mental da população, com prioridade para áreas como saneamento, limpeza pública, segurança alimentar, sempre seguindo os novos protocolos que a pandemia nos impôs”.

5. Como o seu plano de governo vai lidar com esses desafios?

“São muitos os desafios e em todas as áreas, mas nos estudos que fizemos para o nosso plano de Governo detectamos que para Maceió desenvolver e crescer de forma sustentável teremos que – nos seis primeiros meses – aprovar o novo Plano Diretor e também o novo Código de Edificações. O atual plano está muito atrasado. Precisamos renovar de forma rápida as discussões anteriores. Sem Plano Diretor fica difícil tocar a cidade para  frente. Esses novos marcos regulatórios vão nos dar o norte para a gente seguir rumo a uma cidade sustentável”.

6. Quais são suas prioridades na gestão da prefeitura de Maceió?

“O meu foco está concentrado nas pessoas, no atendimento de suas necessidades. Na saúde, por exemplo, será garantida a universalização do acesso a 100% das ações e serviços de atenção básica da saúde e 100% de cobertura dos usuários do SUS, durante os quatro anos de mandato. Outra medida será a reestruturação do Complexo Regulador de Maceió (CORA), dando eficiência ao sistema e promovendo o acolhimento e acesso do usuário aos serviços, com celeridade e eficácia”.

7. Qual é o diferencial do seu plano de governo?

“Alguns dos programas contidos no Plano de Governo formam esse diferencial. Para dar só um exemplo, de efeito imediato, é a criação do programa Super Ano letivo, que visa compensar os alunos da defasagem educacional provocada pela pandemia. O projeto vem acoplado a ações como reformas e construção de novas unidades de ensino e creches para ampliar o número de vagas e modernizar as instalações, incluindo áreas para práticas esportivas e espaços adequados para o cenário de pandemia e pós-pandemia”.

8. Como é possível desenvolver políticas para uma cidade como Maceió que possui riqueza e pobreza convivendo lado a lado?

“Para tentar equacionar esse abismo que assola não somente Maceió, mas Alagoas e todo Brasil, que por si só é um país desigual, vamos trabalhar em duas frentes: desenvolvimento econômico e geração de emprego e renda, com formação de mão de obra de qualidade. Ao mesmo tempo vamos atacar a pobreza com programas de inclusão social, principalmente nas áreas mais pobres no entorno da capital, onde vamos levar saúde, educação, esporte e lazer. Para que Maceió vire de fato uma cidade de oportunidade para todos”.

9. Ao menos quatro bairros de Maceió (Pinheiro, Bebedouro, Mutante e Bom Parto) vêm enfrentando uma grave crise estrutural e essa situação pode se estender para outras localidades próximas. Como o senhor (a) enxerga essa problemática e quais soluções podem ser tomadas a curto e médio prazo para socorrer as famílias afetadas?

“Eu vou exigir celeridade no pagamento das indenizações à população atingida, principal prejudicada pelo desastre. Também vou responsabilizar, via ação judicial promovida pelo Município de Maceió, a mineradora Braskem pelos graves danos causados à população e à cidade, são compromissos assumidos no meu Plano de Governo, assim como a criação de um conselho de gestão de crise, ligado diretamente ao Gabinete do Prefeito, e estabelecer uma equipe interssetorial, com a participação de membros dos bairros atingidos, que vai efetivar todas as ações para solucionar e mitigar os danos junto à população. Em relação à forma como o caso vem sendo tratado, destaco aqui o papel dos Ministérios Públicos Estadual e Federal e das Defensorias Públicas que, desde o início, responsabilizaram a Braskem e buscaram meios de diminuir os efeitos da tragédia para a população”.

10. Por fim, caso seja eleito, o que a população pode esperar de Alfredo Gaspar de Mendonça como prefeito?

“Alguém que vai lutar para melhorar a vida das pessoas. E por que não unir Maceió em torno de um projeto? Divididos seremos sempre mais fracos. Em nada na vida há concordância plena e absoluta, em todas as pautas. Em lugar nenhum isso existe. Mas pode existir uma capacidade madura de buscar a convergência, a construção que nos faz avançar, não regredir. É possível dar as mãos e olhar para a frente. Criar uma corrente rumo ao futuro.  Vivo no mundo real, minha principal fonte sempre esteve nas ruas, quando escutava a voz da nossa gente simples e sábia, porque aprendeu com a dificuldade. Eu vou continuar na linha de frente das ações, para poder ouvir melhor e fazer mais. Minha experiência profissional e de vida só me fez renovar a disposição. As muitas vitórias me legaram ainda mais vontade de fazer. Me sinto assim, pronto para desafios novos, porque tenho o ânimo dos jovens e a prática de quem viveu e aprendeu um pouco mais”.

Alfredo Gaspar, candidato do MDB a prefeitura de Maceió, visita bairros da capital durante a campanha. (Foto: Assessoria/Felipe Brasil).

Compartilhe este artigo

Deixe seu comentário

Para comentar na página você deve estar logado em seu perfil do Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que firam a ética e a moral poderão ser denunciados, acarretando até mesmo na perda da conta. Leia os termos de uso e participe com responsabilidade.

Comercial

Redação

© COPYRIGHT 2023 – GOCOM GRUPO ONLINE DE COMUNICAÇÃO. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.