DÓLAR HOJE:
Euro Hoje
22 de setembro de 2023

MP realiza operação de combate à corrupção e desvios na área da saúde no sertão de Alagoas

Compartilhe este artigo

Contratos que somam cerca de R$ 250 mil são alvos da apuração do Ministério Público. (Ascom/MP-AL).

O Ministério Público do Estado de Alagoas (MPAL), por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), deflagrou na manhã desta terça-feira (13) a “Operação Embolia” no sertão de Alagoas. O município investigado não foi revelado pelo MP.

A ação conta com o apoio da Polícia Militar e tem como objetivo cumprir um mandado de prisão temporária de um ex-secretário de Articulação Política de um município localizado no sertão alagoano, além de dois mandados de busca e apreensão para coleta de elementos relacionados às investigações na área da saúde.

Segundo as investigações conjuntas do Gaeco e da 4a Promotoria de Justiça de Santana do Ipanema, o ex-secretário participou de fraudes cometidas por empresários do ramo de medicamentos, que teriam fornecido notas fiscais para uma determinada prefeitura sertaneja, sem o devido repasse dos remédios supostamente adquiridos.

Dois contratos que somam cerca de R$ 250 mil são alvos da apuração. O município investigado, por sua vez, pagou grandes quantias para essas empresas responsáveis, sendo que parte dos valores foram destinados a agentes públicos, configurando o crime de corrupção.

Durante o cumprimento dos mandados, as diligências resultaram na apreensão, dentre outras coisas, de dispositivos eletrônicos e documentos. Tudo isso será levado para a sede do Gaeco para análise por parte dos promotores de Justiça.

Embolia

O nome da operação, Embolia, remete à obstrução de vasos pelo deslocamento de um trombo (coagulação de sangue) até o local da obstrução. No caso da investigação, os agentes envolvidos geraram uma obstrução dos recursos públicos que, em vez de serem destinados à saúde, acabaram por culminar com o enriquecimento pessoal dos investigados.

A operação Embolia é um desdobramento da operação Sepse, anteriormente deflagrada pelo Gaeco. Após o estudo de tudo o que foi apreendido, das provas produzidas e da oitiva dos envolvidos, o Gaeco irá remeter o procedimento criminal ao Poder Judiciário.

Compartilhe este artigo

Deixe seu comentário

Para comentar na página você deve estar logado em seu perfil do Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que firam a ética e a moral poderão ser denunciados, acarretando até mesmo na perda da conta. Leia os termos de uso e participe com responsabilidade.

Comercial

Redação

© COPYRIGHT 2023 – GOCOM GRUPO ONLINE DE COMUNICAÇÃO. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.